Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Receitas e dicas práticas para economizar gás de cozinha

O aumento constante do gás de cozinha é um assunto que já se tornou rotina na vida dos brasileiros. Desde o início do ano, houve 15 altas consecutivas, e neste último mês, o reajuste foi de  7%. Em termos práticos, significa quase R$6 a mais no valor pago pelo consumidor. Atualmente, os preços do botijão variam entre R$95 a R$130, dependendo da localidade. 

Por aqui, já demos algumas dicas para economizar gás. Hoje, contamos com a participação de uma RecargaPayer muito especial e preparamos um conteúdo cheio de dicas de receitas e técnicas culinárias que além de garantir mais praticidade no seu dia a dia, vão ajudar você fazer o botijão render mais. Confira!

Quanto tempo dura o gás de cozinha?

Primeiramente, vamos entender esse cálculo, na prática: em residências, normalmente, é utilizado o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), aquele vendido em botijões de 13KG a 45kg.

Para fazer o cálculo do gasto, utilizamos a seguinte equação:

  • Gasto = (((T/60) x Kg/h)/B) x PB

Tenha em mente o significado dos termos a seguir: 

  • T = tempo de uso em minutos; 
  • Kg/h = consumo do queimador (ver no manual do fogão); 
  • B = capacidade do botijão (normalmente 13kg);
  • PB = preço do botijão de gás na sua cidade. 

Suponhamos que o tempo de uso seja de 60 minutos, equivalente à 1h por dia; que o consumo do queimador do seu fogão seja 0,225 Kg/h; o botijão tenha capacidade de 13kg e você tenha pago R$122,41 nele  (preço atual na cidade de São Paulo – Capital):

Gasto = (((60/60) x 0,225)/13) x 122,41 = R$2.19 a cada 60 minutos de uso do botijão. 

Para saber a despesa por mês, multiplique o resultado por 30 ou 31 dias.

Otimizando tempo e dinheiro!

Yuli, nossa RecargaPayer especialista em cálculos matemáticos, tem todos esses dados na ponta do lápis na hora de economizar. 

“Desde o início da Pandemia da Covid 19, com o trabalho remoto, eu e meu noivo passamos mais tempo em casa e vimos a necessidade de hábitos de consumo mais econômicos.”. 

Ela conta que se tornou vegetariana, enquanto seu noivo, permanece consumindo carne. 

“Garantir a economia preparando, diariamente, pratos diferentes para os dois, é um desafio e tanto!  A solução que achei foi otimizar preparos! Mesmo trabalhando em casa, eu preciso de um tempinho pra fazer o meu almoço, por isso, sempre opto por receitas rápidas. Costumamos cozinhar carnes e demais alimentos mais trabalhosos, como feijão, lentilha e grão-de-bico, por exemplo, apenas uma vez por semana e congelamos em pequenas porções. Desta forma, evitamos usar gás todos os dias e temos comida fresquinha sempre à disposição!”.

Papel e caneta, e mãos à obra!

“Aqui em casa o almoço coringa é estrogonofe, além de ser maravilhoso é bem fácil de fazer. Os ingredientes são simples: creme de leite, ketchup, mostarda, temperos, alguma carne de sua preferência e para os vegetarianos pode ser cogumelos, palmito, grão-de-bico ou proteína de soja, por exemplo.”.

“Primeiro refogo e tempero a proteína escolhida, logo em seguida coloco creme de leite e depois disso já desligo o gás pra economizar. Acrescento o ketchup e a mostarda e tá pronto! É tudo bem rápido!”.

Yuli comenta ser adepta a utensílios que podem facilitar o dia a dia:

“Para evitar desperdícios, como mencionei, usar o congelador é uma ótima alternativa. Outros utensílios, como panelas elétricas e fritadeiras, garantem a praticidade. Mas é importante ficar de olho no consumo de energia elétrica. Por isso, sempre combinamos o uso com o do fogão a gás.”.

Leguminosas como feijão, por exemplo, são muito consumidas no dia a dia das famílias brasileiras. Para otimizar o preparo, nossa RecargaPayer opta pelo demolho:

“O truque é deixar o feijão de molho de um dia para o outro e cozinhar na pressão por 10 minutos com o fogo ligado e mais 10 desligado.”.

Além disso, aproveitar o cozimento de outros alimentos, como arroz, para deixar legumes no vapor é outra alternativa, também.

“Aqui em casa é uma briga pra ver quem lava a louça, por isso, sempre preferimos preparos que usem apenas uma panela e boca do fogão!”. 

Organizando o orçamento 

Se na sua casa o consumo de gás é feito por apenas uma ou duas pessoas, como na da Yuli, a duração do botijão pode variar de 3 a 4 meses. Em famílias com mais pessoas, o tempo de consumo pode ser menor.

No RecargaPay, às quartas-feiras, temos o dia do gás com até 13% de desconto pra você pedir o seu com o saldo da carteira. E pra quem ainda não conhece a opção do Vale-Gás, Yuli dá a dica:

“Desde que nos mudamos para uma casa e começamos a consumir gás de botijão e não mais o encanado, percebemos um aumento de quase 30% a mais no valor que pagávamos anteriormente. Além disso, os preços costumam variar de um mês para o outro, é uma loucura! Isso gera uma incerteza enorme na hora de planejar o orçamento! Para manter as contas em dia, opto pelo Vale-Gás.”.

E ela está certa, viu?! Nesta opção, você pode adquirir um voucher antecipado, válido por até 6 meses. Com a alta constante de preços, esse recurso evita que você seja pego de surpresa quando precisar pedir o seu!

Agora que você já sabe como calcular o seu consumo de gás e aprendeu dicas e receitas para fazer o botijão render mais, que tal dar uma olhada nas nossas sugestões de como economizar energia elétrica? 

Compartilhe essas dicas com quem tá precisando de uma forcinha pra economizar e não perca os próximos conteúdos! Em breve a gente volta com mais novidades para facilitar a sua vida.

Até mais!